Minimalismo: O menos que virou mais

Minimalismo: O menos que virou mais

Você provavelmente já ouviu a frase “menos é mais”, mas e o que isso realmente significa? De forma rasa, o minimalismo remete a junção do simples com o bem estar. Um dos maiores pontos vitais, é viver com o necessário. Vira e mexe procuramos algo para comprar quando aquele "dinheiro extra” aparece, algo de curto prazo, já no minimalismo, usar essas ocasiões para pensar no que comprar e porque comprar é um estilo de vida. A linha de decoração, não é diferente, o minimalismo vai da entrada até a garagem, usando só o necessário para compor o lar, de forma criativa e estilosa, e é disso que vamos falar hoje!


Aposto que deve estar pensando: “ do que eu vou ter que me desfazer?” Esse não é o foco aqui, o minimalismo é um processo sutil, ele precisa de tempo para se adaptar com a  sua vida e o seu lar. Até hoje não existe uma carta de regras para ser minimalista, mas existem alguns pontos em que pode lhe ajudar a seguir esse estilo de vida.


  • Móveis pequenos e úteis

Existem mudanças que você pode fazer com poucos processos, alguns móveis são tão grandes que acabam ocupando mais espaço do que deveriam. E com isso, o viés minimalista foca sempre em usar móveis pequenos e que sejam hábeis para a sua necessidade. Uma cômoda ao invés de um guarda roupa pode cair muito bem, e deixar o quarto mais espaçado e mesmo assim tendo um lugar para organizar suas roupas. Na sala de jantar e na sala de estar, um aparador é uma ótima escolha, ele é pequeno, e como já vimos aqui no blog, ele pode ser uma boa escolha na hora de decorar.


  • Cores neutras e cantos retos

 

Uma das partes mais estilosas do minimalismo é a composição de elementos, eles são poucos, mas usados com exatidão. As cores como branco, cinza, bege, estão sempre presentes, elas criam um ambiente mais limpo e leve. Mas está enganado se acha que só se pode usar essas três cores. Combinar um pouco de preto, um pouco de amêndoa deixa o ambiente um pouco menos monocromático, sem sair da paleta. Formas geométricas sólidas reforçam muito o minimalismo, mesas quadradas ou redondas, a composição de cadeiras com encostos e pernas retas, ou até mesmo um sofá em L, falta de opção não é o problema!


  • O que é “necessário”?

Como dito anteriormente, o objetivo aqui não é convencer você a se desfazer das suas coisas, e sim mostrar que nem tudo que temos, é oque precisamos. Existem muitas coisas que têm um valor sentimental enorme, elas são muito importantes e podem ser necessárias, portanto, cabe a você decidir oque é necessário. Se ainda estiver em dúvida, vamos lhe dar uma colher de chá. Crie a métrica do 1,2,3.


  1. Não preciso, acumulei, não tem valor sentimental, não tenho onde colocar, posso emprestar;
  2. Uso regularmente, tem valor sentimental, ganhei de alguém;
  3. É útil, uso sempre;

No 1, você colocar todos os itens supérfluos ou então acumulativos que você encontrou, Já no 2, você coloca aquelas coisas que não tem tanto valor, mas vale a pena passar um pente fino, e refazer essa métrica, no 3, ficam as coisas que são sempre usuais. Fácil não?


  • Doe, não jogue fora

Existem diversos modos de direcionar o minimalismo para algo surpreendente. Na época de inverno, alguns lugares fazem campanhas, arrecadando roupas para pessoas em situações mais humildes. Doar algumas daquelas roupas que não servem, ou não usamos mais pode ser um presente para aqueles que não tem muito.


  • Decorando com o mínimo

Closets e cabideiros são muito úteis nesses momentos, na troca de um armário, um closet é a saída chave, pequeno e cabe o necessário. Já com os cabideiros, a função deles é deixar tudo à mão ocupando muito pouco espaço. Alguns modelos podem ser usados para deixar chaves, mochilas, casacos, entre outros. Tudo muito compactado. Existem até casos de pessoas que vivem nesse estilo a tanto tempo, que usam o minimo do minimo, usando apenas pequenos cabideiros suspensos, ou pequenas prateleiras.


  • O bem estar, é a alma do Minimalismo

Mesmo seguindo o lado minimalista, o foco mesmo, é o bem estar. O desacumulo ajuda no estresse, não se prendendo a coisas supérfluas, ou então gastos com coisas que queremos, mas não precisamos. Muitas pessoas entram em dívidas homéricas, apenas para ter o carro do ano ou o celular do momento. Esse caminho gera tanto angústia, como a sensação de impotência. Focar no que realmente nos faz bem, ajuda a prevenir até doenças mais graves, como a depressão, canalizando seu espaço, e seu dinheiro, para coisas a longo prazo. Viagens, um dia com a família, uma tarde com os amigos, ou então um dia de sossego merecido, todos esses momentos ajudam a trabalhar a nossa mente, cultivando lembranças especiais.


  • Desafio minimalista

Se você queria saber como começar, a dica é muito simples: faça uma semana de “test-drive”, combinando um pouco do minimalismo com suas tarefas, comece devagar, e depois avalie o acontecido. 


  • Desafio 1, Dia do preparo: a primeira experiência é se preparar com calma, tentar chegar no trabalho no horário, fazer uma lista de coisas para fazer pelo dia, seja no trabalho, ou em casa, se esquematize para fazer poucas coisas, mas fazê-las bem feitas .
  • Desafio 2, Dia de mudar: sabe aquelas coisas que você faz no automático? Então, nesse dia você vai tentar fazê-las de forma diferente. Aquele colega de trabalho que você nunca falou? De um Oi. Aquela série que você nunca achou que ia ver? Veja alguns episódios. Arrume a casa de uma forma diferente, não importa como, apenas faça diferente.
  • Desafio 3, Velhas recordações: A infância e a adolescência passam muito rápido, e são as melhores épocas da vida. Tente entrar em contato com pessoas que você nunca mais viu, chame para conversar sobre como estão agora ou apenas para dialogar um pouco.
  • Desafio 4, Missão quase impossível: cremos que esse será o desafio mais difícil mas não impossível, nesse dia, você tentará reduzir o tempo que você passa no mundo virtual, seja ele qual for. Você pode fazer desde 1 hr, até um dia se preferir. Logicamente, se seu trabalho depende de internet, a opção de 1 hr pode ser mais viável. Com esse tempo, faça algo diferente, fique com a família ou leia um livro. Só não vale ficar no celular.
  • Desafio 5, a Recompensa: a última fase desses desafio é nada mais nada menos, que se recompensar. Coma algo que você gosta, ou então, saia para algum lugar que você ama, se dê um presente, ou então a longo prazo, uma viagem. Além de tudo, o bem estar é oque importa.

Você pode fazê-los em uma semana, um mês, um ano, ou no mesmo dia, você escolhe. O importante é se desafiar para sentir um pouco desse mundo e sentir que ele não é tão assustador quanto parece..


Fazer de pouco em pouco ajuda a criar alguns hábitos. E trabalhar com esses hábitos pode mudar a sua rotina. O minimalismo vai desde os móveis, até as suas ações, no fim, é isso que significa o termo “Menos é Mais”. Menos coisas, menos estresse, menos acúmulo, e mais bem estar, cuidando da mente e do coração.E você? preparado para tentar esses desafios? Conte-nos a sua vivência. Aqui na Kravo, somos mais que produtos, somos uma experiência.

 

Se gostou desse assunto, salva ele no Pinterest:

Decoração minimalista na sua casa

Deixe um comentário

Os comentários precisam ser aprovados antes da publicação.